segunda-feira, abril 07, 2008

enquanto ando ocupado a tratar do nosso "jogo" ofereço-vos

e flores.


Até agora temos 13 textos - prosa e poesia
Creio que vou ter que fazer dois posts,com estes e os que ainda vão chegar,pois o computador tem pouca memória Ram - creio que será por isso - e os textos todos de seguida fazem um post extenso - pesado? - e ele pára e assim fica.

Com um ampulheta que desiste de medir o tempo...

Dia 12 cá estarão todos os textos.

Até lá vamo-nos falando.

13 comentários:

Eli disse...

;)

M. disse...

É bonita a tua oferta de hoje. Gostei dos tons e da serenidade que eles dão.

Justine disse...

O canteiro das flores está lindíssimo, e os troncos das árvores também me fascinam, tenho algumas fotos com troncos, mandar-te-ei uma para a troca :))
Obrigada

Isabel José António disse...

Queridos Amigos,

Após uma longa pausa estamos de regresso!

Visitem-nos nos seguintes blogues:

http://flordojacaranda.blogspot.com/


http://reflexoessentidas.blogspot.com/


http://diarioestetico.blogspot.com/


Isabel e José António

Blue Velvet disse...

Caro Amigo,
O texto seguiu, hoje, por mail.
Dias Felizes

Francisco Sobreira disse...

Caro Eremita,
Embora não vá participar do "jogo", conforme já o fiz ciente e você entendeu a minha posição, estou curioso pra ver o seu texto. Um abraço.

Fa menor disse...

Gostei das fotos!
Estas flores são belíssimas! Encheram-me o coração de sol, obrigada.
Bjs

Maria Clarinda disse...

E eu esperando...As fotos estão maravilhosas.
Jinhos mil

Isabel José António disse...

PEDIDO URGENTE!

Querido Ermitão,

A Isabel e o José António AMBOS responderam ao desafio colocado, sob a forma de distintos poemas.

Estes dois poemas (dos quais um, do José António, tinha sido aqui deixado como comentário) foram publicados em dois dos blogues dos quais somos colaboradores: o "Perigo de Poeticidade", de um jovem amigo que tem coisas com muito interesse, assim como o seu irmão, e onde colaboramos recentemente e o "Círculo de Poesia" - o primeiro blogue onde coláborámos e que inclui poemas de muita gente.

Se fizer o favor de ir ao nosso "perfil" encontrará links para todos os nossos blogues (só nossos) e também para esses, onde colaboramos.

Espero que seja possível aceitar ainda a resposta ao seu desafio.

Obrigada por vir visitar os nossos outros cantinhos! É que o "Observatório", por exemplo, desde que o actualizámos ainda não capturou os "olhares" de quase ninguém...

Um abraço,

Isabel e José António

Sophiamar disse...

Olá Eremita!

Passei para te deixar um olá e ver as fotografias. Também gosto dos troncos das árvores mas as flores são lindíssimas.

Beijinhossss

Isabel José António disse...

PEDIDO URGENTE!

Querido Ermitão,

A Isabel e o José António AMBOS responderam ao desafio colocado, sob a forma de distintos poemas.

Estes dois poemas (dos quais um, do José António, tinha sido aqui deixado como comentário) foram publicados em dois dos blogues dos quais somos colaboradores: o "Perigo de Poeticidade", de um jovem amigo que tem coisas com muito interesse, assim como o seu irmão, e onde colaboramos recentemente e o "Círculo de Poesia" - o primeiro blogue onde coláborámos e que inclui poemas de muita gente.

Se fizer o favor de ir ao nosso "perfil" encontrará links para todos os nossos blogues (só nossos) e também para esses, onde colaboramos.

Espero que seja possível aceitar ainda a resposta ao seu desafio.

Obrigada por vir visitar os nossos outros cantinhos! É que o "Observatório", por exemplo, desde que o actualizámos ainda não capturou os "olhares" de quase ninguém...

Um abraço,

Isabel e José António

Abril 09, 2008

Isabel José António disse...

Querido Ermitão,

Aqui está o poema que parecia não ter encontrado, quando este está publicado em dois dos blogues em que participamos... Mas, para facilitar, vou deixá-lo aqui também!

Um abraço,

Isabel (pode ver no nosso perfil os vários blogues que temos ou em que participamos!

Isabel

POEMA:


O Céu abriu-se, azul,
Após a Tempestade...
Como se também fosse um imenso mar...
Estendendo-se, ao infinito,
Canto, asa ou grito
Em busca da Verdade...

Frente ao meu olhar
Abriu-se a DISTÂNCIA,
Um risco, uma fragância...

Paisagem erodida
P'lo vento rugidor.
Avassalador,
Imagem
Agora amortecida
Pelo distanciamento das nuvens castelares
rolando com fragor
em simetria aos mares...

Céu e Mar...
Tu e eu...
Mar e Céu, revelando então
Sua fusão
Como a memória de um respiro
A comungar...

E, lá ao fundo,
Ergue-se um Farol,
Testemunho mudo
Deste nosso inteiro olhar...


Isabel

Poema posto a concurso pelo blogue do Eremitão

Raquel Vasconcelos disse...

Malandra da ampulheta!
Tenho que cá voltar para ler tudo.
Como tanta gente soube usar bem as palavras... não é bem isto... ah! Como cada cabeça tem uma forma diferente de imaginar algo.
Neste tipo de jogos nota-se tanto isso!

Abraço Amigo :)