sexta-feira, julho 11, 2008

Imitação de Poesia IV


descansas à distância do
braço. o corpo repousa.
distendido no leito
o cabelo espalha-se
em faiscantes sombras
na brancura da cama.

olho-te. pelo olhar te
aspiro e respiro.

ávido.

curta é a vida
e breve virá o tempo
que nos apartará.

nenhum de nós
o sabe ainda
mas a morte
sobre nós adeja.

16 comentários:

Sophiamar disse...

"Curta é a vida"

Tão curta para tanto amor.E tão bonito este poema em que o sujeito poético, apaixonado, no seu enlevo, olha a amada distendida no leito.

Lindíssimo, poeta!

Beijinhos

Justine disse...

Belo e triste, o teu poema.
Abraço

Bichodeconta disse...

Quem escreve com este talento não está certamente a imitar o que quer que seja.. Parabéns, está magnifica a poesia,Quem dera ser eu portadora de dotes de escrita ..um beijinho, ell

Raquel Vasconcelos disse...

Que bonito... e triste...
Tento nunca misturar o que se escreve com o que é a vida das pessoas, mas desta vez é como se "observasse" uma nova faceta tua...

Abraços

jawaa disse...

É a tua poesia e muito bonita por sinal.
Também no meu lugar tenho umas palavras afinal sobre o mesmo tema, a finidade da vida...
Abraço

M. disse...

Gostei muito. Se te entendo!

bettips disse...

Curta e misteriosa, a vida de viver.
Pungente e belo, o poema.
Bj

TMara disse...

uma fina sensibilidade pega gentil nas palavras e fala de emoções.
bjs ________________________________________________________
__________Luz e paz em teu caminhar e em teu redor.___________________________
::::::::::;)) Bom f.s.

Mateso disse...

Vibrar o sentir na gola do tempo.
Lindo.
Bj.

Paula Raposo disse...

Bonitas estas palavras...que o tempo é inclemente!! Beijos.

Benó disse...

Parabéns pela tua alma poética cheia de sensibilidade.
Soubeste transmitir algo que te preocupa mas que aceitas como certa:
" a morte sobre nós adeja"
mas ao mesmo tempo vives o presente com volúpia:

"pelo olhar te aspiro e respiro"

Sê Feliz, meu amigo.

Eli disse...

Andaste a beber da música e a transpirar poesia!...

:)

alice disse...

gostei muito des poema. foi um prazer encontrar este blogue de que já me tinham falado. um abraço.

isabel mendes ferreira disse...

nunca se imita. a Poesia.



ou é ou não chega a ser.



É.


aqui.



beijo.


grato.

pela companhia.


________________________.

Sei que existes disse...

Que poema lindo!
Beijocas grandes

Fa menor disse...

Imitação?!

Ah! percebi... a poesia verdadeira é a realidade. Concordo.
Mas olha que estas palavras imitam bem!

Beijos